Revista Peruana de Medicina Experimental y Salud Publica

ISSN  1726-4642
versión electrónica

ISSN 1726-4634
versión impresa

INSTRUÇÕES AOS AUTORES

 

Objetivo e política


 A Revista Peruana de Medicina Experimental e Saúde Pública (RPMESP) é o órgão oficial de difusão científica do Instituto Nacional de Saúde (INS) do Peru. É uma publicação arbitrada por pares, de periodicidade trimestral, de âmbito e difusão mundial, indexada em MEDLINE/Index Medicus, SCOPUS, EMBASE, SciELO Saúde Pública e outras bases de dados internacionais. A RPMESP é distribuída em sua versão impressa e eletrônica, com acesso gratuito à texto completo.

A RPMESP publica artigos referidos a temas de interesse em medicina experimental ou saúde pública, ressaltando contribuições práticas, que contribuem a melhorar a situação de saúde do país e da região. Esses artigos não devem ter sido publicados previamente de maneira parcial ou total, nem enviados simultaneamente a outras revistas científicas, em qualquer idioma.

As instruções da RPMESP se baseiam nos “Requisitos uniformes para preparar os manuscritos que se apresentam às revistas biomédicas” do “Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas” (ICMJE). Os artigos da RPMESP se distribuem nas seguintes seções: Editorial; Originais Artigos; Originais Breves; Revisão; Seção Especial; Simpósio; História da Saúde Pública; Relatório de Casos; Galeria Fotográfica; e Cartas ao Editor.

PROCESSO EDITORIAL

AVALIAÇÃO INICIAL DO COMITÊ EDITOR DA RPMESP

Os artigos registrados serão apresentados e colocados para apreciação do Comitê Editor da RPMESP, que é composto por uma equipe multidisciplinar de membros especialistas de instituições líderes em pesquisa. O Comitê Editor concluirá se o artigo requer passar por um processo de revisão por pares, caso contrário, será devolvido ao autor.

REVISÃO POR PARES

A revisão por pares busca garantir a qualidade dos artigos que se publicam. Os artigos de pesquisa são avaliados por dois ou mais revisores que são selecionados de acordo com sua experiência no tema, comprovada através de suas publicações e graus acadêmicos. Conta-se também com o apoio de revisores peritos em bioestatística e epidemiologia que se centrarão nos aspectos metodológicos dos estudos. Em todos os casos, a participação dos revisores é anônima e ad honorem.

A qualificação dos revisores pode ser: a) recomenda-se a publicação sem modificações; b) publicável com observações menores, que são recomendações para a melhoria do artigo; c) com as observações maiores, cuja resposta é fundamental antes de aceitar a publicação do artigo; d) com observações invalidantes, recomendando não publicar o artigo. Para os artigos originais, os revisores podem sugerir que o artigo é publicado como original breve.

Com base nas observações dos revisores, o Conselho Editorial irá decidir a publicação do artigo, a sua não aceitação ou enviar comentários para o autor.

RESPOSTA ÀS OBSERVAÇÕES

O autor deve enviar o artigo corrigido e com controle de alterações, em um documento separado, a resposta para cada uma das observações enviadas. As observações dos revisores e do Comitê Editorial da RPMESP devem ser resolvidas e / ou devidamente sustentadas para que este decida a publicação do artigo. A RPMESP pode reenviar o artigo corrigido para um revisor antes de considerar a publicação.

O tempo médio do processo de publicação, incluindo a partir do recebimento do item até a decisão final da Comissão Editorial da RPMESP varia de dois a quatro meses, dependendo da velocidade dos nossos colaboradores e da resposta dos autores.

PROVAS DE IMPRESSÃO

Os artigos aprovados passarão ao processo final de edição, onde se pode realizar modificações, reduções ou ampliações do texto ou tabelas e figuras, que serão apresentados aos autores para aprovação final. Se os autores não fizerem comentários para o teste de imprensa dentro dos prazos fixados pelo Conselho Editorial, o RPMESP vai pelo aceite a versão final.

CONSIDERAÇÕES ÉTICAS EM PESQUISA E PUBLICAÇÃO

ÉTICA EM PESQUISA

O RPMESP atende aos padrões de ética em vigor no domínio da investigação científica e publicação. Quando as pesquisas em seres humanos estão presentes é necessário mencionar se os procedimentos respeitaram padrões éticos consistentes com a Declaração de Helsinki (atualizado até 2013) e se eles foram aprovados por um Comitê de Ética Institucional.

Exigem a aprovação de um Comitê de Ética Institucional: 1) Pesquisas realizadas com seres humanos; 2) Pesquisas que utilizem diretamente material biológico humano ou dados humanos suscetíveis de identificação como amostras de biobancos ou registros médicos.

Não necessitam de aprovação de um Comitê de Ética Institucional: 1) Estudos com bancos de dados secundários de acesso público, incluindo revisões sistemáticas, meta-análise e estudos bibliométricos; 2) Intervenções de vigilância em saúde pública; 3) Investigação de surtos ou emergências sanitárias; 4) Avaliação de programas de saúde pública.

Em caso de dúvida e / ou controvérsia sobre isso, estes serão avaliados e resolvidos pelo Conselho Editorial da RPMESP como afirmado anteriormente. Tudo isso em conformidade com as seguintes normas e organismos internacionais: Declaração de Helsinki 2013, Organização Mundial da Saúde OMS Saúde OMS, o Conselho para a Organização Internacional de Ciências Médicas – CIOMS, Colégio Americano de Diretrizes Éticas Epidemiologia, Pesquisa em Saúde Ética Autoridade - Canadá.

ÉTICA EM PUBLICAÇÃO

Se detectada uma falta contra a ética na publicação durante o processo de revisão ou após a publicação, a RPMESP tomará as medidas necessárias com base nas recomendações da Comissão do Publication Ethics (Comitê de Ética Publicação) (www.publicationethics.org.uk), que podem incluir a recusa ou a retratação do artigo, a proibição de publicação de próximos artigos todos os autores na RPMESP, a notificação a outras revistas, bem como a comunicação às respectivas autoridades (instituição de origem, instituição que financiou o estudo, conselhos profissionais e comitês de ética).

As formas mais frequentes de faltas éticas na publicação são: plágio, autoria honorária ou fictícia, manipulação de dados e tentativa de publicação duplicada ou redundante.

Os autores são convidados a estabelecer um processo de diálogo e transparência através de uma comunicação fluída, e solicitar informações adicionais antes de quaisquer perguntas sobre estas questões contatando a equipe editorial da RPMESP nos correios anteriormente indicados.

CRITÉRIOS DE AUTORIA

O reconhecimento de autoria da RPMESP se baseia nas recomendações do ICMJE:

1) Contribuições significativas à concepção ou desenho do manuscrito, ou à coleta, análise ou interpretação dos dados;
2) Redação ou revisão crítica importante do conteúdo do manuscrito;
3) A aprovação final da versão que se publicará, e
4) A suposição da responsabilidade frente a todos os aspectos do manuscrito, para garantir que os assuntos relativos à exatidão ou integridade de qualquer parte do mesmo serão adequadamente pesquisados e resolvidos.

Para que alguém seja reconhecido como um autor, deve cumprir as quatro condições mencionadas. Além disso, o ICMJE assinala que a aquisição de financiamento, coleta de dados ou supervisão geral do grupo de pesquisa por si só, não justificam autoria e devem ser listados na seção de agradecimentos.
 

Preparo do manuscrito  
 

ESTRUTURA DOS ARTIGOS

1. PRIMEIRA PÁGINA
Deve incluir:

• Título; em espanhol e inglês (com uma extensão máxima de 15 palavras).
• Título curto: em espanhol e inglês (com uma extensão máxima de 5 palavras).
• Identificação dos autores:
- Nome e sobrenome de cada um dos autores. Se mostrará somente um nome e um sobrenome, ou ambos sobrenomes unidos por um traço. Em caso que os autores desejem incluir outras formas de apresentação de seus nomes, devem justificá-las.
- Identificação institucional, cada autor poderá incluir como máximo duas identificações que incluam a cidade e o país.
- Profissão e grau acadêmico; cada autor deve indicar sua profissão e o maior grau acadêmico culminado. Não se aceitam condições como “candidato a”, “consultor”, “docente”, “chefe do serviço” ou “professor”.
• Contribuições dos autores; devem indicar as contribuições individuais de cada autor na elaboração do artigo, segundo o assinalado na “Solicitação e diretório de autores”.
• Fontes de financiamento; indicando se foi autofinanciada ou financiada por alguma instituição.
• Conflitos de interesse; deve declarar qualquer relação, condição ou circunstância que possa reduzir a objetividade na interpretação do artigo; a qual pode ser econômica ou institucional (consultorias, bolsas de estudo, pagamentos de viagens, por dia, etc.). Para maior informação pode revisar o formulário Updated ICMJE Conflict of Interest Reporting Form (www.icmje.org/conflicts-of-interest/)
• Correspondência; indicar o nome e sobrenome, endereço, telefone e correio eletrônico do autor correspondente. Se a pesquisa foi apresentada a um evento científico ou forma parte de uma tese ou informe técnico os autores devem colocar a citação correspondente embaixo do título.

2. CORPO DO ARTIGO

O texto deve estar redigido no programa Microsoft Word®, em tamanho de página A4, com formato de letra arial de 10 pontos em espaço simples. Deve incluir uma chamada para as figuras e tabelas, as que se anexam em arquivos independentes.
• Resumo. Os artigos originais devem ter a seguinte estrutura: objetivos, materiais e métodos, resultados e conclusões. Os originais breves devem apresentar a mesma informação, porém sem subtítulos. Em outros tipos de artigo o resumo não é estruturado.
• Palavras chave (Key words). Deve se propor um mínimo de três e um máximo de cinco, em espanhol e inglês. Devem se usar os “descritores em ciências da saúde” de BIREME (http://DeCS.bvs.br/) para palavras chave em espanhol yeMeSH NLM (http://nlm.nih.gov/mesh/) para palavras chave em inglês.

A extensão máxima de palavras segundo tipo de artigo é a indicada na Tabela 1.

Tabela 1. Extensão máxima de palavras, tabelas, figuras e referências segundo tipo de artigo.
 

 

Resumo

Conteúdo

Figuras e

tabelas

Ref. Biblio.

Editorial*

--

1500

--

5

Artigos originais

250

3500

6

30

Original curtas

150

2000

4

20

Relatório de casos

150

1500

5

15

Revisão

250

4000

5

70

Simpósio*

250

4000

4

30

Especiais

150

2500

3

30

História da Saúde Pública*

100

2500

3

30

Galeria fotográfica

--

800

12

10

Cartas ao editor

--

500/1000†

1

5

 

Ref. Biblio.: Referências bibliográficas.
* Seção solicitada pelo Diretor da RPMESP.
† Será permitido mil palavras em investigações preliminares.

3. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Somente se incluirão as que se citam no texto, ordenadas correlativamente segundo sua ordem de apresentação. Se usará o formato Vancouver de acordo com as normas dos “Requisitos Uniformes para Manuscritos submetidos à Revistas Biomédicas” (Uniform Requirements for Manuscripts Submitted to Biomedical Journals) del ICMJE (http://www.nlm.nih.gov/bsd/uniform_requirements.html). No caso de existir mais de seis autores, se colocarão os seis primeiros seguidos de et al. Por outro lado, o título da referência deverá destacar um hipervínculo direcionado ao site web onde se possa ter acesso à referência, sempre que existir a versão eletrônica correspondente.

4. TABELAS E FIGURAS

Cada tabela ou figura deve ser anexada em arquivos individuais e em seu formato original; no corpo do artigo deve se fazer referência a todas as tabelas ou figuras incluídas.

• Tabelas: devem ser ordenadas em números arábicos e conter a informação necessária, tanto no conteúdo como no título, para poder ser interpretada sem necessidade de se remeter ao texto. Somente se aceitará uma linha horizontal, que se usará para separar o cabeçalho do corpo da tabela, em nenhum caso devem incluir linhas verticais. As tabelas deverão estar em Word ou Excel. Explique no pé das tabelas o significado de todas as abreviaturas e os símbolos utilizados.

• Figuras: se consideram figuras os mapas, fotografias, diagramas ou gráficos, os quais devem ser ordenados com números arábicos. São aceitáveis os formatos TIFF ou JPG a uma resolução maior de 600 dpi ou 300 pixels. As figuras devem se apresentar em um formato editável. As legendas das microfotografias deverão indicar o aumento e o método de coloração. Os mapas também devem ter uma escala. Nas figuras onde se mostram os rostos dos pacientes deve-se colocar uma tarja escura que cubra os olhos para não permitir a identificação do paciente; os autores devem anexar a autorização escrita do paciente ou seu representante legal dando seu consentimento para a publicação das fotos. Caso inclua uma Figura previamente publicada deve-se indicar a fonte de origem e referir a autorização escrita do titular dos direitos autorais.

5. CONSIDERAÇÕES DE ESTILO

A revista utiliza o Sistema Internacional de Unidades. Os nomes científicos das espécies devem ser colocados em cursiva. Os títulos dos artigos não devem ter abreviaturas. Se essas forem utilizadas ao longo do texto, deve-se colocar o nome completo do referido e logo a abreviatura entre parênteses no momento da primeira menção. Ao referir-se a vários autores no corpo do artigo, marcar o sobrenome do primeiro autor seguido de et al. (Exemplo Cabezas et al.).

INSTRUÇÕES ESPECÍFICAS PARA CADA TIPO DE ARTIGO

1. EDITORIAL

São apresentadas por solicitação do diretor da RPMESP, seu conteúdo se referirá aos artigos publicados no mesmo número da revista, em particular aos do simpósio, ou tratarão de um tema de interesse segundo a política editorial.

2. ARTIGO ORIGINAL

São artigos de pesquisa, que desenvolvem um tema de interesse para a revista, com solidez, originalidade, atualidade e de forma oportuna. Devem ter a seguinte estrutura: resumo, palavras chave, introdução, materiais e métodos, resultados, discussão, e referências bibliográficas. A extensão máxima é de 250 palavras para o resumo, 3500 palavras para o conteúdo, seis tabelas ou figuras, e trinta referências bibliográficas.

• Resumo (Abstract). Estruturado em: Objetivos, Materiais e métodos, Resultados e Conclusões. Em espanhol e inglês.
• Palavras chave (Key words). Debe-se propor um mínimo de três e um máximo de cinco, em espanhol e inglês. Devem usar os “descritores em ciências da saúde” de BIREME (http://DeCS.bvs.br/) e MeSH (https://www.ncbi.nlm.nih.gov/mesh).
• Introdução. Exposição breve do estado atual do problema, antecedentes, justificação e objetivos do estudo.
• Materiais e métodos. Descrever a metodologia usada, de modo que permita a reprodução do estudo e a avaliação da qualidade da informação. Se descreverá o tipo e desenho da pesquisa, as características da população e forma de seleção da amostra. Em alguns casos, é conveniente descrever a área de estudo. Detalhar os procedimentos realizados, se foram previamente descritos, fazer a citação correspondente. Precisar a forma como se mediram ou definiram as variáveis de interesse. Mencionar os procedimentos estatísticos empregados. Quando utilizar plantas medicinais, deverá descrever os procedimentos de coleção e identificação das plantas. Identifique os fármacos e compostos químicos empregados, com seu nome genérico, suas doses e vias de administração. Pode haver subtítulos para facilitar sua apresentação. Se recomenda revisar os consensos internacionais para os tipos específicos de artigo como as guias STROBE para estudos observacionais; CONSORT para ensaios clínicos; STARD para estudos de provas diagnósticas, PRISMA para meta-análises, etc. Pode encontrar estas guias e informação útil para a apresentação de seus artigos no site de EQUATOR (www.espanol.equator-network.org). Se discutem as considerações envolvidas em sua realização. Se o estudo comprometeu seres humanos ou animais de experimentação, deve-se mencionar que foram cumpridas as exigências éticas exigidas internacionalmente. Para os estudos em humanos, deve-se identificar o comitê de ética institucional que aprovou o protocolo. Em caso de ser requerido, o Comitê Editor pode solicitar as constâncias de aprovação do Comitê de Ética e do consentimento informado do estudo a ser publicado. O Comitê Editor exige a aprovação do estudo por um comitê de ética institucional e pelos processos detalhados no tema III "Considerações éticas em pesquisa e publicação".
• Resultados. Apresenta os resultados de forma clara, sem inclusões e interpretações. Pode-se complementar com tabelas e figuras, as quais não são obrigadas a repetir a informação apresentada no texto. Podem incluir subtítulos para facilitar sua apresentação.
• Discussão. Interpreta os resultados, os comparando com os achados de outros autores, expondo as inferências do autor. Deve incluir as limitações e os possíveis viés do estudo, assim como, as fortalezas do mesmo, finalize com as conclusões e recomendações.
• Agradecimentos. Quando corresponde, deve se referir a uma forma específica de quem e por que tipo de colaboração na pesquisa se realiza o agradecimento.
• Referências bibliográficas. Deve ter as referências bibliográficas que foram citadas previamente no conteúdo do artigo segundo as especificações mencionadas no ponto II. 3.

3. ORIGINAL BREVE

São artigos de pesquisa que por seus objetivos, projeto e resultados podem ser publicados de forma abreviada. Tem a seguinte estrutura: resumo não estruturado, palavras chave, introdução, o estudo (que inclui a metodologia e os "achados" para mostrar os resultados), discussão e referências bibliográficas. A extensão é de 150 palavras para o resumo, 2000 palavras para o índice, quatro figuras ou tabelas, e vinte referências bibliográficas.

4. REVISÃO

Será realizada por especialistas da área. Devem incluir uma pesquisa exaustiva, objetiva e sistematizada da informação atual sobre um determinado tema de interesse em medicina experimental ou saúde pública. Tem a seguinte estrutura: resumo não estruturado, palavras chave, introdução, corpo do artigo, conclusões e referências bibliográficas. A extensão máxima é de 250 palavras no resumo, 4000 palavras no conteúdo, cinco figuras ou tabelas, e setenta referências bibliográficas.

5. SIMPÓSIO

É um conjunto de artigos estruturados sobre um tema aprovado pelo comitê Editor da RPMESP e encomendado a um Editor convidado, quem propõe os autores. O tema e a orientação dos artigos são coordenados com o Editor convidado para o número. Tem a seguinte estrutura: resumo não estruturado, palavras chave, corpo do artigo, e referências bibliográficas. A extensão máxima é de 250 palavras no resumo, 4000 palavras no conteúdo, quatro figuras ou tabelas, e trinta referências bibliográficas.

6. SEÇÃO ESPECIAL

Incluirá artigos que se encontrem dentro da política editorial da Revista, mas que não se adequem às características de outras seções. Inclui ensaios, opiniões, sistematizações e experiências que são de interesse para a saúde pública. Não serão aceitos artigos que promovam instituições, produtos, pessoas ou que tenham conflitos de interesse para sua publicação.

Tem a seguinte estrutura: resumo não estruturado, palavras chave, corpo do artigo e referências bibliográficas. A extensão máxima é de 150 palavras no resumo, 2500 palavras no conteúdo, três figuras ou tabelas, e trinta referências bibliográficas.

7. REPORTE DE CASO

Os casos apresentados devem ser de doenças ou as condições de interesse em saúde pública. Tem a seguinte estrutura: resumo não estruturado, palavras chave, introdução, reporte de caso, discussão (onde é destacado o aporte ou ensino do artigo) e referências bibliográficas. A extensão máxima é de 150 palavras no resumo, 1500 palavras no conteúdo, cinco figuras ou tabelas e quinze referências bibliográficas. Os pacientes se identificam mediante números correlativos, não se utilizam suas iniciais nem os números de fichas clínicas de seu hospital ou instituição, nem qualquer informação em base à qual se possa conhecer sua identidade. As ilustrações e / ou fotos devem ser descritas minuciosamente. Na reprodução de preparações microscópicas, se deve explicitar a ampliação e os métodos de tinção. Ao pê da legenda se deve incluir o significado de todas as abreviaturas utilizadas.

8. HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA

Inclui artigos sobre a história da saúde pública, incluindo notas biográficas de personagens que fizeram uma contribuição notável para a saúde pública ou a medicina experimental. Tem a seguinte estrutura: resumo não estruturado, palavras-chave, corpo do artigo e referências bibliográficas. A extensão máxima é de 100 palavras no resumo, 2500 palavras no conteúdo, três figuras ou tabelas e trinta referências bibliográficas.

9. GALERIA FOTOGRÁFICA

Contém fotos de interesse pela sua singularidade ou novidade sobre um problema de saúde, acompanhada de um breve comentário do tema e uma explicação sobre a origem das fotos apresentadas. O limite de palavras é de 800 e tem um máximo de doze figuras e dez referências bibliográficas. As figuras devem ser acompanhadas de uma legenda explicativa. O Comité Editor da RPMESP reserva-se o direito de limitar o número de fotografias.

10. CARTA AO EDITOR

Seção aberta a todos os leitores do RPMESP que enviem contribuições que complementem ou discutam artigos publicados nos dois últimos números da RPMESP bem como pontos de vista relevantes e inovadores sobre problemas de saúde pública, ética ou educação médica. Nestes casos, são permitidos até três autores e uma extensão de até 500 palavras. A política editorial da Revista permite que os autores mencionados possam fazer uma réplica.

Quando forem apresentados resultados das investigações preliminares ou intervenções por surtos que não tenham sido publicados ou submetidos para publicação em outra revista. Permitir-se-á até 1.000 palavras e uma tabela ou figura. Estes casos serão sujeitos a revisão por um par.
As cartas devem desenvolver, sem se dividir em seções, a aproximação do problema, sua discussão e a conclusão com sua recomendação.
 

 
Envio dos manuscritos  
 

O envio de artigos poderá enviar o artigo logo que subscrito como autor, ingressando ao seguinte link: http://www.rpmesp.ins.gob.pe .

DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA

É obrigatório que o autor correspondente envie:
1) Solicitação e diretório de autores devidamente preenchidos, segundo formato;
2) Artigo redatado seguindo as pautas indicadas nas presentes instruções.

Se recomenda aos autores ter em conta os seguintes aspectos para o seguimento de seus artigos enviados a RPMESP:

- Realizar um reconhecimento de recibo antes de cada comunicação.
- Será enviada uma comunicação da recepção e da prova de impressão a cada um dos autores de cada artigo.
- O autor correspondente do artigo pode consultar em qualquer momento sobre os avanços da revisão de seu artigo, para tanto deve considerar os tempos de revisão assinalados no “Processo editorial”.
- No caso de não receber uma resposta às observações que se enviem em um prazo de cinco semanas, o artigo será retirado do processo editorial.
- Antes de qualquer dúvida, pode nos consultar no endereço eletrônico rpmesp@gmail.com ou chamar ao +511 7481111 ramal 2122.
 

 

 

 

[Home] [Sobre nós] [Corpo editorial] [Subscrição]


© 2004-2014  Instituto Nacional de Salud

Cápac Yupanqui 1400 - Lima, Perú
Apartado Postal 471
Teléfono: (51-1) 748-1111
Anexo 2122


rpmesp@ins.gob.pe